Por Rui Melo

Asas

Fevereiro, 2006

Construção da longarina central

As peças da longarina vêm construídas e com furacão de referência . Têm que ser feitas uma série de peças em cantoneira de alumínio que servirão de suporte a a algumas nervuras.

Têm que ser montadas duas longarinas (esquerda e direita) que não são propriamente iguais e simétricas. Mesmo com muita atenção ao plano uma delas foi mal montada. O erro foi visto a tempo e a situação corrigida sem grandes problemas uma vez que as furações, essas sim são simétricas. Aconselha-se um estudo pormenorizado dos planos antes do início desta fase , que o plano esteja na posição correcta em relação à longarina que se constrói e de preferência que o plano esteja na nossa frente e não atrás como foi o caso. Depois das peças montadas e clecadas inicia-se a fase da furação definitiva. Este trabalho exige algum cuidado pois nem todos os furos são do mesmo diâmetro. Mais uma vez tem que se ter muita atenção aos planos devendo ser os diferentes tipos de furacão assentes na própria peça. Trabalho cansativo e feito em várias fases: “não há pulsos que aguentem”. A ajuda do Paixão foi preciosa (furar e rebitar é com ele). Cada meia longarina tem entre 400 e 600 furos. Como as duas meias longarinas se vão sobrepor alguns dos furos devem ser "dimpled”. Tratamento dos furos, aplicação de aparelho e rebitagem.

A rebitagem não foi tarefa fácil de início. Todos os rebites são rebites de esmagamento o que dificulta a sua aplicação. Sem máquina de aplicação foi adoptada a técnica preconizada pela Sonex. O batente é fornecido no kit, eu comprei o maço e o Paixão arranjou o ”batedor”. Os primeiros rebites aplicados foram uma miséria e tiveram que ser substituídos. É espantoso como rapidamente nos adaptamos. Em breve conseguimos um bom ritmo de trabalho e rebites com aplicação muito uniforme. Após duas semanas de trabalho as longarinas estão prontas e começam-se a aplicar as nervuras. A aplicação da primeira nervura tem um sabor especial . O prazer foi tal que me sentei em contemplação durante mais de meia hora em frente da longarina com a nervura aplicada (momentos únicos).

Por uma questão de espaço foi decidido construir as asas em cima de cavaletes. As longarinas vêm com furação de referência o que facilitou imenso a furação das nervuras. Muito rapidamente uma das asas estava armada...